Coronav�rus: perguntas e respostas - Projeto Imuno

Coronav�rus: perguntas e respostas

Coronavírus: perguntas e respostas

Coronavírus: perguntas e respostas
Veja as principais perguntas e respostas sobre sintomas, transmissão, cuidados, remédios e possível cura

O que o país inteiro temia se confirmou: o novo coronavírus chegou ao Brasil. Especialistas dizem que há motivo para preocupação, mas não para o pânico. O mundo ainda está em alerta e buscando uma solução para combater o vírus, que surgiu em dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, na China.

Veja as principais perguntas e respostas sobre sintomas, transmissão, cuidados, remédios e possível cura, que podem ajudar você a conviver com esta epidemia, batizada pela Organização Mundial da Saúde como Covid-19.

 

O que é o coronavírus?

Coronavírus é o nome de uma família de vírus que têm formato de coroa. Eles causam infecções respiratórias e já provocaram outras doenças, como a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e a Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio). A doença causada pelo novo coronavírus tem o nome de Covid-19.

 

Como se dá a transmissão?

Pode ocorrer de três formas: vias respiratórias, como pelo ar e por gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados; contato físico, como beijos e abraços; contato de superfícies contaminadas, como segurar em corrimão.

 

Quais são os sintomas da doença causada pelo coronavírus?

Os principais sintomas são tosse seca, febre e cansaço. No entanto, mas alguns pacientes também podem sentir dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta ou diarreia. Nos casos mais graves, que geralmente ocorre em pessoas que já tenham outras doenças associadas ou crônicas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal.

 

Como se prevenir do coronavírus?

Cuidados básicos podem evitar a transmissão do novo coronavírus. São eles:

o   Lavar as mãos frequentemente ou usar álcool para higienizá-las (mesmo com as mãos limpas, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca);

o   Higienizar superfícies, como móveis e corrimão limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;

o   Não compartilhar itens pessoais, como talheres e toalhas;

o   Manter a uma distância mínima de um a dois metros de pessoas que estejam espirrando ou tossindo;

o   Evitar grandes aglomerações de pessoas.

ATENÇÂO: O uso de máscaras é mais recomendado para quem estiver em contato com alguém com sintoma gripal ou para quem for viajar para áreas de risco de contaminação pelo vírus. Lembre-se de que as máscaras descartáveis devem ser trocadas a cada duas horas.

Como lavar as mãos corretamente?

As mãos devem ser lavadas com água e sabão, e/ou higienizadas com álcool. A recomendação é que esta higiene seja completa, que inclua a parte inferior da ponta das unhas, a base do polegar e a região do pulso. O tempo de lavagem deve durar enquanto você canta a música “Parabéns a você” por duas vezes.

 

É possível se contaminar por meio de aperto de mãos ou com beijos no rosto?

Sim. Por isso, segundo os infectologistas, é hora de rever alguns hábitos sociais, como cumprimentar com beijos no rosto ou com um aperto de mãos. É recomendável evitar esse tipo de contato físico.

 

Quais produtos de limpeza matam o coronavírus?

O vírus pode ser morto por produtos de limpeza desinfetantes de fácil acesso, como álcool 70%, água sanitária e até com a combinação de água e sabão.

Segundo Wladimir Queiroz, especialista em doenças infecciosas e parasitárias e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (em entrevista ao G1), "o vírus possui uma cápsula de gordura protetora, e a limpeza com estes produtos retira a cápsula e mata o vírus".

 

Qual é o tratamento?

Não existe tratamento específico para o Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Os pacientes infectados recebem tratamento para aliviar os sintomas. De acordo com o Ministério da Saúde, o tratamento indicado é repouso e consumo de bastante água. Algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas são: medicamentos para febre (antitérmicos) e dor (analgésicos), umidificador de ar no quarto ou banho quente para aliviar a dor de garanta e a tosse.

 

Como é realizado o diagnóstico da doença?

O coronavírus apresenta sintomas idênticos a uma gripe comum. Em caso de febre persistente por mais de 48horas e algum sintoma respiratório, como dificuldade em respirar ou falta de fôlego, e tendo estado em local atingido pela epidemia ou em contato com alguém que esteve em área de risco, recomenda-se procurar atendimento médico-hospitalar. O hospital fará o teste e sua contraprova, em laboratório de referência.

 

Existe vacina contra o coronavírus?

Ainda não, mas vários países, como Alemanha, China e Estados Unidos, já pesquisam uma vacina contra coronavírus. A expectativa da comunidade científica é que os primeiros testes comecem nos próximos dois meses.

 

Há remédio que protege contra coronavírus?

Segundo o Ministério da Saúde, não. Até o momento, não há nenhum medicamento específico para prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

Qual a taxa de letalidade do coronavírus?

Não há ainda um percentual oficial de letalidade da Covid-19, causada pelo coronavírus, segundo Nancy Bellei, infectologista, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em entrevista ao G1. Embora ainda não exista um percentual oficial, estima-se que seja algo em torno de 2%, dos casos confirmados na China, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Já fora da China, a taxa registrada foi de 0,7%. Mas isso depende de uma série de fatores, como idade, gênero, condições de saúde e o sistema de saúde no qual na pessoa está inserida.

 

Como deve proceder a pessoa que está com suspeita de infecção por coronavírus?

Em 80% dos casos, os sintomas de coronavírus são leves, semelhantes a uma gripe. Nestes casos, o correto, segundo a OMS, é evitar sair de casa. Se precisar sair, deve-se evitar circular em lugares fechados, com muitas pessoas e com pouca ventilação. Lembre-se: ir ao trabalho ou à escola com sintomas de gripe implica expor potencialmente outras pessoas à doença. Além disso: ao espirrar, deve-se colocar o antebraço ou um lenço na frente do nariz e boca; utilize lenço descartável para higiene nasal; não compartilhe talheres, copos, toalhas e demais objetos pessoais; mantenha uma distância mínima de um a dois metros de qualquer pessoa.

 

Coronavírus tem cura?

Segundo a OMS, ainda não há cura e não há um tratamento medicamentoso definido. Mas, segundo infectologistas, existe a chamada "cura espontânea", que ocorre quando o corpo reage à infecção.

 

Quem corre mais risco ao ser infectado pelo coronavírus?

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, os grupos de maior risco são crianças menores de 2 anos, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, pessoas com doenças crônicas.

 

O coronavírus pode contaminar encomendas que vêm da China?

A probabilidade de uma pessoa contaminar as mercadorias comerciais é pequena, segundo a OMS. E, mesmo se o item fosse infectado, o vírus não resistiria a movimentações e diferentes condições de temperatura enfrentadas durante a viagem.

 

Qual é o período de incubação do novo coronavírus?

O "período de incubação" significa o tempo entre a captura do vírus pelo ser humano e o início dos sintomas da doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, as estimativas do período de incubação do Covid-19 variam de 1 a 14 dias, geralmente em torno de 5 dias.

 

Por quanto tempo o novo coronavírus vive em uma superfície ou no ar?

Ainda não é possível afirmar quanto tempo o vírus sobrevive na superfície ou no ar, é o que diz a Organização Mundial da Saúde (OMS). Estudos avaliados pela OMS apontam que o coronavírus pode persistir nas superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Isto varia e depende das condições do local, do clima e da umidade do ambiente.

 

Qual é orientação para quem vai viajar para países com registro de coronavírus?

Até o momento, não há restrição oficial para viagens a países com registro de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde e a OMS. Entretanto, o hospital Albert Einstein, em São Paulo, recomenda que seja verificada a possibilidade de troca de passagem. Caso isso não seja possível, tome ainda mais cuidado com a higiene das mãos, evite aglomerações e siga as recomendações gerias de proteção e consulte o seu médico antes da viagem.

 

Fonte: G1


Para mais informações consulte o site do Hospital Albert Einstein: https://vidasaudavel.einstein.br/covid-19-faq/

Quer saber o que é Fato ou Fake sobre o coronavírus? Acesse: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/01/28/veja-o-que-e-fato-ou-fake-sobre-o-coronavirus.ghtml